As famílias da região do Oropó, em Mogi das Cruzes, desabrigadas pelas chuvas da última semana foram transferidas para a escola municipal Antonio Brasil de Siqueira, no Conjunto Bom Pastor.

De acordo com a Prefeitura, a medida foi adotada para garantir a continuidade do atendimento às pessoas que ainda têm suas casas prejudicadas pela água e retomar as aulas para os 762 alunos da Escola Municipal Professora Florisa Faustino Pinto, onde os moradores estavam abrigado até segunda-feira (18).

Até o momento, 19 pessoas permanecem abrigadas na escola, sendo 12 adultos e 7 crianças. Elas moram em áreas atingidas pelas fortes chuvas registradas na última semana e pelo aumento do nível do rio Jundiaí.

“As famílias abrigadas permanecem recebendo todo o atendimento da Prefeitura, além do acompanhamento que é feito. Além disso, profissionais dos CRAS estão atuando nas áreas atendidas, com acompanhamento social, orientação aos moradores sobre como retirar nova documentação, encaminhamentos para atendimento de saúde, entre outras ações”, explicou a secretária municipal de Assistência Social, Neusa Marialva.

A secretária lembrou ainda que as famílias que estavam abrigadas na Escola Municipal Vereadora Astréa Barral Nébias, em Jundiapeba, já voltaram para suas casas.

A utilização da Escola Municipal Antonio Brasil de Siqueira foi definida por conta de sua capacidade para atender o número de pessoas que atualmente necessita de abrigamento.

Além disso, a unidade não está sendo utilizada para aulas, uma vez que a demanda do bairro foi absorvida pela Cempre Vereador Ivan Nunes Siqueira, localizado na Avenida Kaoru Hiramatsu.

Para receber os moradores, a Prefeitura montou uma estrutura com funcionários da Secretaria de Assistência Social e guardas municipais, para garantir a segurança das pessoas. Já a alimentação é fornecida pela Prefeitura e preparada no Cempre Vereador Ivan Nunes Siqueira.

A Defesa Civil de Mogi das Cruzes também permanece monitorando a situação dos bairros atingidos pelas chuvas e das áreas ribeirinhas. O trabalho também compreende o monitoramento das condições climáticas e o atendimento a casos de urgência e aos chamados registrados pelo telefone 199.

Deixe uma resposta