Um motorista de aplicativo de forty six anos foi feito refém durante um assalto em Mogi das Cruzes na noite de domingo (12). A vítima teve mãos e pés amarrados com um cadarço. Ele contou à polícia que por volta das 22h foi atender uma corrida que teria como destino a cidade de Suzano.

Quando chegou para buscar o passageiro no distrito de Jundiapeba, ele pediu que antes o levasse até sua casa para tirar a bermuda e colocar uma calça, porque iria até o velório de um tio.

Ao se aproximar da suposta casa, o passageiro pediu que o motorista parasse. Nesse momento, a vítima foi abordada por outros dois homens.

O motorista disse que um deles estava armado e anunciou o assalto. Ele foi retirado do carro e colocado no porta-malas. Depois, os suspeitos levaram o carro com o motorista e pararam em um native deserto.

A vítima afirmou que neste ponto eles amarraram seus pés e mãos com um cadarço. Quando foi colocado no porta-malas, ele disse que foi obrigado a fornecer a senha dos três cartões bancários que tem. O motorista calculou que ficou com os criminosos por cerca de três horas.

Depois, eles o deixaram em um native deserto perto do Hospital Doutor Arnaldo Pezzuti Cavalcante, em Jundiapeba, e o avisaram que o carro seria abandonado em outro native.

O veículo foi encontrado a poucos metros do native. O motorista não soube informar à polícia se os criminosos tinham feito algum saque ou transação bancária.

Deixe uma resposta