O Parque das Neblinas, reserva ambiental da Suzano gerida pelo Ecofuturo, tem uma interessante recepção aos visitantes: as aves. Avistá-las buscando alimentos, durante o ritual de acasalamento ou ouvi-las vocalizando, é uma cena recorrente. Não é à toa: até o momento foram identificadas 245 espécies, formando uma comunidade exuberante, que representa cerca de 20% do total de 1.253 de espécies da fauna e flora já registradas na área.

Destas 245 aves, 25 delas são endêmicas, ou seja, ocorrem apenas na Mata Atlântica. Além disso, há também um pássaro conhecido como chupa-dente (Conopophaga lineata), ameaçado de extinção. As aves contribuem ainda para a conservação ao, por exemplo, se alimentarem de frutos de árvores como a palmeira-juçara e auxiliarem na dispersão de suas sementes, acelerando a restauração das florestas. Também são polinizadoras, contribuindo para a manutenção da diversidade genética.

A grande quantidade de espécies possibilita que o Parque atraia atividades de birdwatching, a observação de aves em seu ambiente natural sem interferir no comportamento ou território do animal. Um observador registra em média, a cada três dias na reserva, 87 espécies, podendo observar até 72 em uma só manhã.

O potencial da reserva para a identificação de novas espécies e para a prática da atividade foi tema do Avistar 2019 – 14º Encontro Brasileiro de Observação de Aves, que aconteceu na USP. Como parte da programação, alguns observadores e pesquisadores do Brasil, dos EUA e do Reino Unido que participaram do evento visitaram o Parque e registraram pela primeira vez na reserva o araçari-poca (Selenidera maculirostris).

“Um número tão significativo de espécies, sendo uma parcela delas consideradas endêmicas, é um excelente indicador. Isso mostra que o Parque das Neblinas oferece um ambiente favorável à conservação desses animais, que costumam ser sensíveis a alterações em seu habitat. Nossa expectativa é ampliar a estrutura oferecida aos praticantes de birdwatching para tornar a reserva referência na prática”, afirma Paulo Groke, Diretor Superintendente do Ecofuturo.

 

Sobre o Parque das Neblinas

Reconhecido pelo Programa Homem e Biosfera da UNESCO como Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, o Parque das Neblinas está localizado a cerca de 100 quilômetros de São Paulo, nos municípios de Mogi das Cruzes e Bertioga.  É uma reserva ambiental da Suzano, gerida pelo Ecofuturo, com 6 mil hectares de área, onde são desenvolvidas atividades de ecoturismo, pesquisa científica, educação socioambiental, manejo e restauração florestal e participação comunitária.

Sobre o Instituto Ecofuturo

O Instituto Ecofuturo contribui para transformar a sociedade por meio da conservação ambiental e promoção de leitura, integrando livros, pessoas e natureza. Entre as principais iniciativas estão o projeto Biblioteca Comunitária Ecofuturo, com a implantação de mais de 100 bibliotecas no País, e a gestão do Parque das Neblinas, onde são desenvolvidas atividades de educação ambiental, pesquisa científica, ecoturismo, manejo e restauração florestal, e participação comunitária. Organização sem fins lucrativos, fundada em 1999 e mantida pela Suzano, o Instituto atua como articulador entre sociedade civil, poder público e o setor privado. Conheça mais sobre o Ecofuturo em www.ecofuturo.org.br, e acompanhe em www.facebook.com/InstitutoEcofuturowww.youtube.com/institutoecofuturowww.instagram.com/ecofuturo.

Deixe uma resposta